sexta-feira, 8 de abril de 2011

Sete de Abril e malevolência de um suposto ser [...]


Quero viver em uma cabana, isolada de tudo e de quase todos.
Cansei, enjoei e chorei; chorei muito por sinal. Não quero viver nesse mundo de desigualdades, nesse mundo de guerras, rancores. A maior dor que estou sentindo agora ,é a de saber que sou um ser inútil aos olhos das pessoas neste momento. Vejo coisas distorcidas pela mídia, vejo pessoas alienadas, assassinos cruéis, pedidos de perdão estúpidos e desgraciosos.
Acabei de perceber que o mundo está em completa decadência, isso é extremo. Minha suposta fé, talvez nem exista mais. Pois a que existia, chamada AMOR ; está completamente abalada.
Por que o rancor move o mundo e as atitudes ? Por que pessoas inocentes passam por tantas desgraças? Isso é pagar pelo pecado ? Mas qual pecado? O pecado cometido por outros seres humanos?!
Eu realmente devo estar delirando...
Venho notando que as pessoas julgam conhecer a palavra do tal '' Deus '', mas na verdade elas manipulam tais crenças, para se sentirem mais merecedoras da salvação. Aliás, que salvação é essa?
A salvação está em extinção, até porque os pecadores vivendo por ai e os inocentes estão ensangüentados por fora, por dentro, ou até mesmo desprovidos de vida.
Me diga que mundo é esse? Me diga quem é o culpado, quem é o salvador, quem somos nós, quem são eles ?!
Estou com medo de cada esquina deste planeta, estou com medo das pessoas, dos meus pensamentos, de mim mesma afinal. Tenho uma força maior, talvez ela me mostre o caminho; mas as estradas estão negras, algumas avermelhadas; são sinais de vidas roubadas, sonhos interrompidos em um local que é primordial na conquista dos mesmos.
Deito em minha cama, olho para o teto; passam milhares de coisas em minha cabeça.
Sei que tenho problemas, sei que me sinto fraca. Mas agora é o momento que deixo-me de lado, olho para o próximo. Problemas maiores que os meus estão acontecendo esses dias, aliás, eu estou viva. Chegou a hora em que esqueço minha existência ...
Essas lágrimas cortam minha face [...]
Essa postagem nunca me tocou tanto, como hoje : http://diariotf.blogspot.com/2011/01/essa-tal-de-fe.html

As lembranças confinam minha cabeça. Dolorosamente eu encaro o fim [...]
                                            

0 Comentários:

Postar um comentário

Liberte-se deixando fluir da mente e do coração...
Palavras que me acalmam.