sábado, 26 de março de 2011

Mais uma vez...


  O meu mundo está passando por um terremoto. Quanto mais espero da vida, menos eu recebo das pessoas. A ilusão é um estado alterado do coração, onde tais mutações tiveram início no começo de uma adolescência turbulenta.
  Os abalos causados por supostos terremotos, eu carregarei pelo resto da vida, muitas destruições estão registradas em uma memória fotográfica, e são cenas que eu desejo apagar desta máquina chamada coração.
  Tão frágil, tão bonito, tão vivo...
  O meu já foi assim algum dia, não me lembro bem desta época de felicidade plena.
  Hoje o meu interior está degradado, sinto-me obscura. A insônia me domina, e a auto-estima me abandona.
  Como sonhar com o cavalheiro de armadura brilhante, se conseqüentemente, ele poderá ser apenas um covarde como os outros, enrolado em um papel alumínio ?!
  Sinto uma rocha em meu peito. As lágrimas de sangue cortam minha face e os vermes do passado devoram o meu cadáver.
  Sou menina, sou mulher, ou até mesmo uma garotinha qualquer. Meus sonhos já não existem, e a complexa vontade de ''pensar'' no futuro, não me ilude nunca mais.
  Subtamente lhe peço um favor; cuide bem do meu antigo coração, pois ele está condenado a ser eternamente seu ...

2 Comentários:

André disse...

posso ser um covarde enrolado em um papel alumínio
mas não medirei esforços para defender o meu amor mesmo que ele for uma draga ou ate mesmo um cavaleiro completo


;)

Thainan F. disse...

ooownt, seu lindo *-*
posso fazer parte desta batalha, e defender o amor junto de ti ? s2'

Postar um comentário

Liberte-se deixando fluir da mente e do coração...
Palavras que me acalmam.